Menu

Encontrando a calma em meio ao caos familiar

No turbulento momento do acesso de raiva, rebeldia e conflitos de nossos filhos, nós podemos aprender e crescer.

Minha filha menor, Bethany, berrou por dez minutos, “Nada de dentes escovados! Não, não, não!”. Mais um ataque de raiva. Uma coisa tão simples como escovar os dentes era uma tortura para ela. Seu irmão mais velho gritou, “Cala a boca!”, e tentou tapar a boca dela. Ela gritou mais alto ainda. As veias do meu pescoço incharam enquanto eu gritava com os dois. Tinha sido um incidente isolado, eu ficaria bem. Porém, esse estilo de vida se tornou comum. Nessa vez, nós estávamos atrasados para deixá-los na casa da avó deles por um tempo... quem sabe por um mês? Por quê cuidar de filhos é tão difícil ?!?! Eu lamentei novamente.

Antes de meus filhos nascerem, minha vida era calma e agradável. Eu havia tomado posições de liderança no trabalho e na igreja. Eu tinha mais amigos do que minha agenda podia comportar, alguns admitiam que se assustavam pelo fato de eu ter tudo isso ao mesmo tempo. Eu mantinha minha casa arrumada e organizava meu tempo com eficiência. O auge do meu sucesso foi ser nomeada “empregada do ano” em um grande centro de reabilitação.

Depois eu tive filhos, e eles não se impressionavam mais.

Assim que meu controlado e previsível modo de vida colidiu diariamente com três crianças sensíveis e hiperativas, eu me vi em uma bagunça de difíceis, até mesmo sombrios, pensamentos e sentimentos que fizeram o ofício de mãe parecer impossível. Raiva, frustração, e até mesmo  violência, se tornaram todas companhias familiares. Eu lembro claramente do dia em que eu deitei de cara no carpete em desespero e lágrimas.

Minha fachada de realização e controle tinha ruído. Eu enfrentei um verdadeiro teste de fé. Eu poderia aprender a ser serena e confiante mesmo quando meus filhos estavam fora de controle? O Dr. John Gottman, psicólogo e estudioso da família, afirmou sabiamente, “O caminho para se tornar um melhor pai (ou mãe) – como a maioria dos caminhos para o crescimento pessoal – começa com a auto-avaliação”.

Nos meses e semanas seguintes, eu orei, anotei e procurei por conselhos sábios. Nesse processo, eu comecei a entender que meus desafios eram uma oportunidade para crescer pessoal e espiritualmente além de tudo aquilo que eu havia vivido! Apesar de não ser uma fácil jornada, eu sabia que era o caminho certo. Eu desenvolvi algumas frases para manter minha perspectiva refrescada durante esses tempos trabalhosos:

. Meus filhos foram criados por uma razão específica e são uma benção para mim!

. Nós estamos em uma ótima jornada pesar de nossos altos e baixos

. Deus vai usar todas as dificuldades para todos os seus bons e sábios propósitos

. Eu posso estar bem mesmo quando meus filhos não estão

Eu decidi que a tarefa mais importante que eu tenho como mãe é colocar esses pensamentos em prática. Essa disciplina foi mais importante que qualquer palpite sobre cuidados maternais que eu podia aprender. Passo a passo, minha ansiedade diminuiu e minhas reações se tornaram mais racionais – até mesmo gentis. Quando as crianças têm suas inevitáveis brigas e desequilíbrios emocionais, eu aprendi a parar, respirar, e lembrar das “frases”. Eu poderia, então, descansar e lidar com meus filhos com um pouco mais de sabedoria e menos ansiedade.

No turbulento passeio pelo acesso de raiva, rebeldia e conflitos de nossos filhos, nós podemos aprender e crescer. Quando nós deixamos de lado nossas preconceituosas noções de cuidado maternal e controle, nós crescemos em liberdade para amar nossos filhos pelo que eles são e aproveitar a divertida estrada do cuidado maternal.

 

Lynne Jackson mora em Minnesota e é mãe de adolescentes. Ela e seu marido são escritores, educadores de pais e co-fundadores do ministério Famílias Conectadas.

voltar ao topo