Menu

Jornada que continua

Formação espiritual é uma das mais urgentes necessidades da Igreja brasileira.


Minha relação com você, querido leitor, começou há exatamente 25 colunas. Durante pouco mais de dois anos, ocupei este espaço em CRISTIANISMO HOJE e usei-o numa tentativa de plantar em sua mente e coração sementes de minhas reflexões sobre formação espiritual. Este tema se fez presente em todos os textos de Renovare, e a escolha não foi por simples gosto ou preferência literária. Acontece que formação espiritual é uma das mais urgentes necessidades da Igreja brasileira. Por formação espiritual, devemos entender o processo pelo qual desenvolvemos uma relação de amor com o Pai, mediada pela reconciliação propiciada por Jesus e possível pela presença e força do Espirito Santo em nossos corações.

Essa simples definição sobre o que seria formação espiritual aponta para alguns axiomas centrais da espiritualidade cristã. Em primeiro lugar, é preciso saber que ela é trinitária, por encontrar no Pai, no Filho e no Espirito Santo não somente sua fundação teológica, mas também a base para vivê-la. Eis a razão pela qual essa formação da qual falamos não sofre de uma redução do papel de Cristo; ao contrário, ela nos alerta para construir uma visão centrada em Jesus e em sua cruz e sua morte expiatória. Nessa perspectiva, é a vida de Jesus como um todo (e isso inclui a sua morte) que nos salva. Somos formados espiritualmente à medida que repetimos seu estilo de vida, e é esta transformação em sua imagem que se constitui na suprema salvação. A vida eterna, assim, é "puxada" para história; ela acontece na tessitura do nosso cotidiano, quando vamos sendo habitados pelo seu Espírito – processo que, inevitavelmente, nos levará a uma qualidade de vida que começa aqui e se estende até o além.

A formação espiritual também nos convida a pensar uma nova eclesiologia. Ela entende a igreja como uma comunidade que reúne e forma discípulos. Uma comunidade não ensimesmada, mas capaz de mudar o mundo pelo poder subversivo nascido do testemunho e da ação de homens e mulheres formados a partir da imagem de Jesus. Isso coloca diante nós o desafio de encontrar caminhos capazes de fazer nossas igrejas locais se organizarem ao redor do pilar da formação espiritual.

Em terceiro lugar, a formação da qual falamos aqui encontra na Bíblia sua referência maior. Porém, ela se alimenta também da história da espiritualidade cristã. Ela vê na Reforma do século 16 um dos seus principais marcos, mas não despreza a riqueza contida nas tradições pré-reformadas nem ignora os movimentos espirituais mais recentes, que trouxeram dinamismo e participação social à fé cristã. Assim, a formação espiritual valoriza a beleza da tradição contemplativa que tem nos pais do deserto uma das suas expressões históricas e abre-se para a tradição de santidade que se demonstra historicamente em movimentos como o pietismo; por outro lado, acompanha a tradição carismática revelada historicamente no movimento pentecostal e clama pela tradição da justiça social que se expressa em teologias e ações, lembrando-nos que a luta contra a injustiça e a desigualdade são elementos fundamentais da nossa missão. A formação espiritual encontra-se também com a tradição evangelical e sua paixão por anunciar as boas novas de maneira integral, uma evangelização que, segundo Lausane, deve pregar o Evangelho todo para todos os homens e ao homem todo; e, por fim, a formação espiritual mergulha na tradição sacramental que vê nas artes, no trabalho e nos elementos cotidianos os espaços por excelência, a partir dos quais o Espírito nos transforma na imagem de Jesus.

Ao longo de todo esse tempo em CRISTIANISMO HOJE, a formação espiritual foi a tônica deste espaço. Espero, de coração, que Renovare tenha conseguido transmitir a cada leitor conteúdos espirituais úteis para sua caminhada na fé. Pois bem, agora é hora de despedir-me deste espaço, expressando minha gratidão a cada um pelo carinho de sua leitura e convidando a todos para continuarmos juntos na revista Liderança Hoje, para onde se transfere este colunista, na expectativa de que juntos continuemos na fascinante jornada da formação espiritual. 

voltar ao topo