Menu

Sucessão complicada

Império eclesiástico e de mídia erguido pelo televangelista Robert H.Schuller sofre com disputas entre seus descendentes.

Uma briga em família está em andamento pelo espólio de um dos mais célebres pregadores americanos contemporâneos. Os descendentes do pastor americano Robert Harold Schuller, fundador da Catedral de Cristal, em Garden Grove, na Califórnia, estão disputando não apenas o majestoso templo – que possui cerca de 10 mil janelas, daí seu nome – como o comando da congregação, com mais de 20 mil membros, e de um complexo de mídia que envolve o tradicional programa Hora do poder. Campeão de audiência por mais de 40 anos e maior responsável pelo faturamento da denominação, a atração agora sofre contínuo esvaziamento.

A megaigreja tem uma dívida de 43 milhões de dólares e pediu proteção contra a falência. Mesmo assim, a filha mais velha do patriarca, a pastora Sheila Schuller Coleman, disputa com os irmãos o controle do grupo empresarial e religioso. O preferido de Schuller era seu único filho homem, Robert, mas ele foi afastado por um conselho integrado também por seus dois cunhados. A alegação básica foi de que sua pregação não era “abençoada” como a do pai. A turbulenta sucessão, assim como planos de crescimento custosos demais, piorou ainda mais as coisas. Agora, as esperanças recaem sobre Robert V.Schuller, da terceira geração da linhagem, que tem tido bons resultados como líder de uma crescente congregação voltada para público mais jovem.

voltar ao topo